Novidades > Artigos

22/10/2009
Trabalhos inscritos no II Prêmio Comunicador do Futuro começaram a ser analisados

O número de trabalhos recebido para a edição 2009 do Prêmio Comunicador do Futuro mais que dobrou em relação ao ano passado. Foram 168 trabalhos, contra 80 em 2008. Peça publicitária foi a categoria que mais atraiu os estudantes e também a que mais cresceu em relação à primeira edição, triplicando o número de trabalhos enviados pelos acadêmicos. Este ano, concorrem nessa categoria 117 peças, que representam 70% do total de inscritos na premiação.

A segunda categoria com maior número de trabalhos recebidos foi a de texto jornalístico com 32 reportagens concorrentes, 45% a mais do que em 2008. Já a categoria ensaio fotográfico, apesar de dobrar o número de inscrições feitas pela Internet, recebeu praticamente a mesma quantidade de trabalhos fotográficos do ano passado, 19.

O melhor trabalho de cada categoria será publicado em jornais diários de Belo Horizonte e os autores recebem R$ 5 mil cada. Para os trabalhos que ficarem em segundo e terceiro lugares nas três categorias, seus autores recebem, respectivamente, R$ 3 mil e R$ 2 mil. Os trabalhos já começaram a ser analisados pela Comissão Julgadora e os nove premiados serão publicados no site www.premiocomunicadordofuturo.com.br. A entrega da premiação será feita pelo Governo de Minas, em cerimônia a ser realizada na primeira quinzena de novembro.

Interior supera a capital – O número de trabalhos enviados por estudantes de cidades do interior superou o da capital, representando 61% dos trabalhos que concorrem à premiação este ano. Isso possibilita aos universitários do interior repetirem, ou superarem, o feito da edição de 2008 – levaram 4 dos 9 prêmios.

Foram recebidos trabalhos de 40 municípios das mais diversas regiões do Estado. De cidades-pólo como Frutal, Juiz de Fora, Ipatinga, Montes Claros, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia; de municípios da Região Metropolitana de BH, Arcos, Betim, Contagem, Nova Lima e Ribeirão das Neves; das cidades históricas, Congonhas e São João Del Rey; e também de pequenos municípios como Bambuí, que foi a terceira cidade com o maior número de trabalhos enviados (9), só ficando atrás de Montes Claros (14) e Belo Horizonte (66).

A Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas) está concorrendo com o maior número de trabalhos, sendo 23 de estudantes do interior e 16 de Belo Horizonte. A segunda maior concorrente é a UFMG com 25 trabalhos inscritos, seguida pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), com 17, e pela Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac), com 11 trabalhos enviados.