Novidades > Artigos

18/09/2006
Expedição reuniu acervo de informações e fotografias sobre a antiga rota colonial das Minas à Bahia

Foto Anterior Legenda da foto bla bla bal baljjflakjf adflajf adf Foto Posterior
Em sua jornada desde Mariana até Salvador, a Expedição Caminhos Antigos das Minas à Bahia colecionou estatísticas eloqüentes em seus 31 dias de viagem por esta histórica rota colonial. Nada menos do que 90 Diários de Viagem e 270 fotografias foram disponibilizadas pela equipe de jornalistas no hot site do projeto, na home da Terrazul. E foram visitados 29 municípios mineiros e baianos que possuem bens naturais e históricos e culturais tombados pela União, por meio do Iphan e do Ibama, entre os quais sete cidades participantes do Programa Monumenta, do Ministério da Cultura.

Além do material disponibilizado pela Internet, os pesquisadores e fotógrafos da Expedição recolheram um vasto material sobre os patrimônios históricos, culturais e naturais tombados nos municípios. Estas informações e fotografias compõem o banco de dados da rota colonial, que será editado e encaminhado ao Programa Monumenta, em outubro próximo, com sugestões para o desenvolvimento da região, por meio do incremento do turismo.

Durante a viagem de Mariana a Salvador, os três veículos que transportaram as equipes rodaram, em média, quatro mil quilômetros cada um. Além das caminhadas, nas visitas aos parques e unidades de conservação, os pesquisadores, jornalistas e fotógrafos contaram com barcos, balsas e até mesmo um helicóptero do Instituto Estadual de Florestas (IEF/MG), em Januária. Esta é a terceira expedição realizada pelas equipes do Instituto Terrazul, cujos relatos de viagem encontram-se também disponíveis nas páginas dos Caminhos do Sertão.